(Last Updated On: 28 de fevereiro de 2018)

Assim como nos negócios, os serviços de logística passam por transformações e acompanham o dinamismo do mercado e as novas tendências. Em um cenário anterior, grandes instituições preenchiam um caminhão com seus produtos para transportá-los ao redor do país.

No entanto, com o crescimento de pequenas e médias empresas, surgiu a necessidade de meios mais flexíveis de distribuição. Foi nesse contexto que o modelo de carga fracionada — que é uma alternativa à carga completa — se fortaleceu.

Você sabe, afinal, qual a diferença entre carga completa e carga fracionada e qual delas oferece o sistema ideal para o transporte de cargas da sua empresa? Então, acompanhe o post e saiba mais!

Qual a diferença entre carga completa e carga fracionada?

Quando falamos no transporte de mercadorias, os processos são mais complexos do que simplesmente lotar um caminhão com encomendas e partir rumo a um destino. Existem vários fatores que devem ser considerados para que a movimentação seja a mais estratégica possível para uma empresa e agregue valor para seus clientes.

Então, cabe à instituição entender qual a modalidade mais adequada para otimizar sua logística de distribuição. As principais alternativas são a carga completa e a carga fracionada. Entenda melhor esses conceitos:

Carga completa

Também conhecido por Lotação ou carga fechada, o sistema de carga completa é aquele no qual uma empresa utiliza o espaço total de um veículo para fazer o transporte de suas mercadorias, de forma exclusiva — para isso, precisa arcar com os custos totais dessa movimentação também. Em geral, essa modalidade é adotada em situações como:

  • a quantidade de produtos e remessas da empresa é suficiente para preencher por completo o tipo de transporte escolhido;
  • a natureza da mercadoria é um fator que exige que ela viaje sozinha em um veículo, ou seja, problemas podem acontecer caso ela compartilhe espaço com outras;
  • a solicitação por uma entrega urgente — a empresa precisa contratar um caminhão reservado que faça uma remessa imediata, o que é diferente na carga fracionada.

Carga fracionada

Ela funciona como o envio de pequenas remessas, incapazes de lotar um veículo totalmente. Logo, ao optar por esse modelo, uma empresa vai partilhar o uso de um caminhão com outras, bem como os custos por esse transporte. Basicamente, a proposta da carga fracionada é agrupar vários tipos de mercadoria e realizar um traslado único para todas.

O crescimento do comércio eletrônico é um dos motores para o aumento da demanda pelo trânsito de pequenas cargas. Isso acontece porque, para a maior parte dos e-commerces, a carga fracionada é o único método que viabiliza a entrega dos produtos aos clientes, que passam a ser enviados à medida que os pedidos são processados nas lojas.

Além disso, existe a questão do custo em comparação com a carga completa: nesse sistema, o embarcador paga apenas pelo espaço que ocupa no veículo, e não pelo frete total.

Qual a melhor opção e quais fatores devem ser observados?

Como vimos, a carga completa e a carga fracionada apresentam propostas distintas. Assim, uma não é superior a outra, mas o que ocorre é que elas atendem a diferentes necessidades e objetivos. Saiba quais aspectos devem ser observados para que você consiga escolher a modalidade mais vantajosa para seu negócio:

1. Volume de entregas

Algumas instituições — a exemplo dos e-commerces e demais empreendimentos B2C — trabalham com alto volume de pedidos e exigem fluxo mais dinâmico de entregas. As encomendas aparecem e precisam ser imediatamente consolidadas.

Além disso, muitos negócios atendem clientes espalhados pelo país — o que dificulta a contratação de um só veículo para realizar entregas. Nessas situações, a carga fracionada é a opção mais viável e, consequentemente, barata. No caso de empresas que realizam entregas pontuais (como as operações B2B) e em grande quantidade, a carga completa é mais adequada.

Assim, para definir o tipo de transporte mais interessante a ser oferecido pelo seu negócio, analise a carteira de clientes da sua empresa e até mesmo o tipo de empreendimento que deseja prospectar. Foque nas necessidades dos seus clientes em relação às suas demandas de entregas para planejar seus serviços.

2. Segurança e custos

Remessas com um volume considerável e que seguirão caminho único, isto é, existe uma origem e um destino bem determinados, podem ser feitas por carga completa.

Assim, elas não precisam ser manuseadas ao longo do caminho (somente na carga e descarga), o que reduz risco de acidentes, extravios e quebras. Além disso, com menos processos operacionais envolvidos, menor será o custo total da distribuição.

Então, se sua empresa trabalha com cargas em grande quantidade ou com tamanho suficiente para preencher um veículo sem gerar muito desperdício e, também, mercadorias sensíveis ou valiosas, a carga completa é uma boa escolha.

Já a carga fracionada pressupõe múltiplas entregas. Afinal, diferentes clientes compartilham o transporte de suas cargas com outros, muitas vezes para destinos distintos.

Portanto, você precisará de uma boa estrutura e planejamento para organizar essas remessas. Apostar em tecnologia qualificada — por meio de sistemas de roteirização, rastreamento e controle de cargas — é uma excelente iniciativa para reforçar a precisão, a segurança e a qualidade do serviço.

O investimento em tecnologia e operações intermediárias pode representar um custo para a transportadora no início. Todavia, é provável que essa despesa se pague rapidamente, uma vez que a procura pelo serviço de carga fracionada está em franca expansão.

3. A cobertura geográfica

Pegando um gancho com o tópico acima, ao considerar a carga fracionada, considere a cobertura geográfica. O serviço de carga fracionada demanda entrega de remessas em endereços diversos, muitas vezes em estados ou regiões diferentes. Assim, é preciso coordenar a melhor rota para cobrir esses destinos e oferecer um atendimento mais abrangente.

Por outro lado, na carga completa ou fechada, você apenas precisa lidar com um envio específico de um ponto para o outro.

4. O tempo de entrega

A carga completa apresenta prazo total menor que a carga fracionada, já que o número de etapas desde a preparação do pedido até sua entrega final é menor. Além disso, o veículo segue rota única, sem paradas.

Dessa maneira, a carga fracionada não é um serviço vantajoso para transportadoras que não contam com a infraestrutura para realizar um transporte urgente e programar rotas de acordo com todas as remessas de outros clientes.

A carga fracionada e a carga completa são sistemas que buscam proporcionar o serviço de transporte para empresas com diferentes necessidades. Agora que você já sabe a diferença entre elas, consegue definir o caminho mais estratégico para seu negócio.

Gostou de conhecer as diferenças entre carga completa e carga fracionada? Que tal se informar mais sobre logística e entender como funcionam os softwares de gestão para o transporte? Continue a leitura para se tornar um expert no assunto!

Quer saber sobre mais assuntos como esse? Nos siga nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.