Você sabe calcular os custos fixos com caminhão? Apesar de ser um fator imprescindível para a definição do valor do frete e afetar diretamente a rentabilidade das transportadoras, muitos gestores e empreendedores do ramo não dominam o assunto.

Em geral, quando esse cálculo é feito de maneira incorreta, os gastos podem superar o valor cobrado, dificultando a operação do negócio e refletindo negativamente em sua estabilidade e crescimento.

Como o tema é de extrema relevância, trouxemos para o blog um conteúdo que o ajudará a definir o custo fixo por dia com o seu caminhão e, assim, conseguir manter uma boa margem de lucro. Continue com a leitura e aprenda agora mesmo!

Custos fixos com caminhão: afinal, o que é isso?

Dentro da gestão financeira de uma empresa, há dois conceitos importantes: os custos fixos e os variáveis. Ter o controle exato desses gastos é um dos fatores mais importantes para a manutenção da rentabilidade do negócio:

  • custos fixos: gastos que não apresentam variação ao longo dos meses. Eles independem do volume de serviços prestados e sempre constam nos balanços financeiros, como a folha de pagamento e o aluguel;
  • custos variáveis: esses valores oscilam de acordo com a produção da empresa, como a matéria-prima e os insumos produtivos (água e luz).

Analisando com maior atenção os custos fixos com caminhão, podemos dizer que estamos tratando daqueles gastos que a transportadora tem com o veículo e que não sofrem alteração com o número de viagens executadas. Ou seja, independentemente de realizar cinco ou 30 viagens com o caminhão, esses gastos serão os mesmos.

Quais os maiores custos fixos de um caminhão?

Agora que você já entendeu melhor o conceito de custo fixo e variável, podemos apresentar os custos fixos com caminhão mais importantes em uma frota. É provável que você até já considere alguns deles ao definir o valor de seu frete, mas alguns são esquecidos e, por isso, é interessante apresentá-los.

Depreciação

A depreciação é um fator invariável, visto que, com o passar dos anos, é natural que o veículo perca valor e necessite ser substituído. É por essa razão que um caminhão comprado cinco anos atrás por R$ 400 mil pode estar valendo apenas R$ 250 mil.

Desse modo, o valor de depreciação precisa estar incluído no frete, funcionando como uma reserva para adquirir um novo veículo no futuro.

Licenciamento, IPVA e Seguro Obrigatório

Esses custos fixos costumam ser lembrados ao calcular o frete, especialmente porque são obrigações legais e não há como se esquivar delas. Uma vez por ano, independentemente de quantas viagens esse caminhão fará, você deve arcar com esses valores.

Seguro do veículo

Apesar de não ser um custo obrigatório, é necessário citar o seguro do veículo como um custo fixo. Afinal, diante do alto índice de roubos e acidentes nas estradas, é muito importante contar com esse tipo de proteção.

Custo de oportunidade

Provavelmente, você ainda não tenha avaliado esse custo, mas é interessante refletir sobre ele. Sempre que um capital é revertido para a compra de um caminhão, perde-se uma oportunidade — que pode ser investir em outro negócio, emprestar para o banco ou comprar um imóvel, por exemplo.

Isso recebe o nome de custo de oportunidade e é importante que ele faça parte do seu cálculo, afinal, se houve a perda de uma oportunidade, é justo que esse gasto seja incluído entre os custos fixos com caminhão.

Como mensurar o custo fixo por dia de um veículo?

Os custos fixos com a frota podem ser apontados como os mais importantes dentro de uma empresa de transportes, mas mensurar esses valores nem sempre é fácil.

Você pode realizar esse cálculo em diversos cenários (mensal, semanal, diário). No entanto, já parou para pensar como pode ser bom para sua organização financeira saber o custo fixo diário de cada um de seus veículos?

O custo existe e não há como fugir dele. A melhor estratégia, portanto, é aprender a calculá-lo com precisão e, assim, definir um valor de frete justo para os clientes e interessante para o seu negócio.

Mas o que fazer para encontrar esse valor? O cálculo é relativamente simples e muito lógico. Em geral, os custos fixos são anuais. Isso quer dizer que você consegue definir com facilidade quanto gastou por ano com cada um desses fatores.

Para definir o custo diário, é preciso um pouco de atenção. Lembre-se de que o caminhão não roda 30 dias por mês e, por esse, motivo não é interessante pegar o custo anual como referência e dividi-lo por 365 dias. Veja um exemplo prático que leva em consideração um veículo que é utilizado 22 dias por mês:

IPVA 2018: R$ 5.000

Custo mensal: R$ 416,66

Custo diário (30 dias): R$ 13,88

Custo diário (22 dias): R$ 18,93

Observe que o valor diário calculado com 30 dias é inferior ao de 22 dias. Portanto, o justo é que você faça esse cálculo de acordo com a sua realidade e procure incluir os valores corretos no frete. Isso o ajudará a manter seus ganhos condizentes com os custos, assegurando um crescimento saudável e duradouro.

Portanto, para encontrar o custo fixo diário de cada um de seus caminhões, basta anotar o custo anual, dividir por 12 meses e, em seguida, dividir novamente pelo número de dias que esse veículo é utilizado. Um cálculo simples de ser feito e, ao mesmo tempo, muito importante para seu negócio.

Conclusão

Após finalizar a leitura deste post, podemos concluir que conhecer os custos fixos com caminhão é essencial para o empreendedor do ramo de transportes. Trata-se de um dado importante para uma boa gestão financeira e que simplifica bastante o momento de definir o valor do frete para o cliente. Portanto, agora que você aprendeu a realizar esse cálculo, tenha o hábito de manter esses valores atualizados e não deixe de adotar essa estratégia.

Você conhecia todos esses custos fixos com caminhão? Tem dúvidas sobre o assunto? Precisa de ajuda para gerenciar sua transportadora? Deixe seu comentário! Sua participação é importante e enriquece o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.