O princípio da atividade de transportes é atuar como ponte de ligação entre os produtos fabricados e o mercado em que são comercializados. Esse conceito simplificado não abrange a real importância que a área tem e como a sua performance na logística pode impactar um negócio.

No cotidiano da operação, os recursos disponíveis e o monitoramento constante das atividades contribuem para o aumento da produtividade e para o aprimoramento contínuo. Por essa razão, dedicamos este espaço para sugerir as melhores dicas para implantar no seu empreendimento.

1. Previsibilidade da demanda

Em essência, tentar prever a demanda e as reações do mercado e, posteriormente, preparar toda a cadeia de suprimentos de acordo é um encargo desafiador. Contudo, é uma atividade primordial e que não pode ser colocada em segundo plano ou ser executada sem a devida análise. Como dito antes, o comportamento do consumidor afeta toda a cadeia e falhas em mensurar as suas variações podem comprometer a lucratividade.

Em geral, previsões de demandas partem dos comerciantes que têm real contato com os compradores. Caso seja identificado um aumento na intenção de compras, eles podem adquirir mais produtos nos distribuidores, que, por sua vez, vão registrar esse aumento e repassá-lo ao fabricante, que para se preparar adequadamente pode requisitar mais insumos de seus fornecedores.

Caso o cenário de aumento se concretize, todos os elos estarão preparados para reagir e ofertar maior disponibilidade de produtos. Porém, caso a demanda tenha sido erroneamente estimada, o resultado será de estoques parados nas prateleiras e pode ocorrer redução nos lucros.

Dois fatores ajudam a tornar a previsão da demanda mais precisa: a qualidade da informação e o planejamento da estrutura logística. É preciso articular as áreas internas da empresa e parceiros para obter a informação correta, compartilhar os dados coletados e comparar com o registro histórico de períodos anteriores.

2. Definição dos parâmetros estratégicos

A associação internacional que reúne os profissionais de gestão de suprimentos, chamada Council of Supply Chain Management Professionals (CSCMP), cunhou a definição do termo logística.

O seu significado é “o processo de planejamento, implantação e controle do fluxo eficiente e eficaz de mercadorias, serviços e das informações relativas desde o ponto de origem até o ponto de consumo com o propósito de atender às exigências dos clientes”.

É visível como cada um desses aspectos pode se converter em uma parte do planejamento da operação de transportes e, consequentemente, da performance na logística.

A primeira etapa se dá pela construção do planejamento da área em termos de recursos disponíveis. Em seguida, devem-se buscar formas eficientes de lidar com o fluxo de mercadorias, buscado melhores resultados no processo de entrega.

Deve-se oferecer, também, a possibilidade de acompanhar a remessa em tempo real por meio de sistemas de roteirização e rastreamento. Por fim, a qualidade dos serviços oferecidos deve ser capaz de satisfazer os clientes, bem como propiciar o aumento do número de clientes.

3. Acompanhamento de indicadores de desempenho

Os últimos anos têm sido fundamentais para consolidar a área de logística com significativa relevância para o processo de fabricação e para a comercialização de produtos. Seu papel varia desde suprimento de insumos para manufatura até o escoamento do estoque no tempo e no local certos.

Sua importância atinge todos os níveis organizacionais, começando pelo estratégico, cujo papel é definir os modais de transporte, a política de preços de frete e a rede de distribuição. No nível tático, o trabalho é voltado para projetar o plano de distribuição e lidar com a gestão da frota.

Já o nível operacional tem a função de realizar a consolidação das cargas e roteirizar o trajeto de entrega para o melhor aproveitamento do tempo e recursos.

A medição dos resultados constitui ferramenta importante para o gerenciamento de processos. Seu papel é quantificar as variáveis do negócio e fornecer resultados para análise. Para a área de logística, os principais objetivos para a apuração de resultados são

  • divulgar a estratégia para todos os setores;
  • identificar oportunidades de melhorias;
  • diagnosticar problemas na operação;
  • detectar a necessidade de ações corretivas;
  • delinear metas e responsabilidades;
  • garantir maior visibilidade do processo.

Cada um desses aspectos propicia um melhor entendimento das reais necessidades do empreendimento, permitindo que melhores decisões e ações sejam tomadas no futuro. Em especial, no que se refere aos padrões de serviços oferecidos aos clientes. Por essa razão, as transportadoras devem aspirar o aperfeiçoamento constante por intermédio dos indicadores de desempenho.

4. Investimento em recursos humanos

A relação da equipe de transportes com as demais áreas administrativas também afeta o resultados da performance na logística. Isso é justificado pela interdependência entre os setores de produção, suprimentos, finanças e marketing. Seu trabalho deve ser visto como uma forma de parceria, na qual cada área corresponde a uma parte dessa complexa operação.

É preciso compreender que esforços em direções distintas não beneficiam a empresa, tampouco os resultados. Esse tipo de contradição entre os interesses de cada departamento afeta a organização como um todo, gerando um ambiente de competição quando deveria ser de cooperação e integração.

Portanto, a adoção de soluções para desenvolver e atualizar os profissionais que atuam com logística pode resultar em melhor capacitação para criar soluções para os desafios que surgem diariamente.

5. Gerenciamento de armazém

O processo de gestão de estoque e armazenagem de produtos é uma das funções primárias da logística e tem forte impacto no resultado das empresas. Com isso, é preciso desenvolver estratégias relacionadas à localização dos centros de distribuição, ao tamanho dos estoques mantidos e à capacidade de entrega.

A primeira decisão a ser tomada é a disponibilidade de insumos para abastecer a produção e a quantidade de itens destinados para pronta-entrega. Essa medida contribui para manter a linha de produção em pleno funcionamento, evitar atrasos e entregar os pedidos em sua totalidade, conforme solicitado.

Manter produtos armazenados representa custos para arcar com a infraestrutura, portanto o cálculo da demanda é fundamental para as vendas e a lucratividade. A variedade do catálogo de produtos e a quantidade produzida contribuem para uma rápida reposição e reduzem os custos de transporte.

O aprimoramento da performance na logística de uma transportadora deve ser encarado como um processo constante que exige dedicação e autonomia para o desenvolvimento de soluções inovadoras. Portanto, o empreendedor deve estar atento a novas tendências e práticas com intuito de assimilar esse conhecimento e aplicá-lo no seu dia a dia.

Quer ter acesso a mais conteúdo de qualidade? Então, aproveite para seguir a Bsoft nas redes sociais. Acesse as nossas páginas no Facebook, Twitter, e LinkedIn!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.