Procuram-se caminhoneiros!
6 de novembro de 2013
Contran exigirá exame toxicológico para motoristas de ônibus e caminhões
27 de novembro de 2013
Mostrar todos

Suspensão mais alta compromete segurança e causa danos ao veículo

suspensao traseira caminhoes
(Last Updated On: 15 de novembro de 2013)

Caminhoneiros adulteram a suspensão dos caminhões para viajar com cargas mais pesadas e enganar a fiscalização, só que o resultado disso pode ser o aumento do risco para a vida de quem vem atrás.

Só os olhos atentos dos policias rodoviários podem perceber a irregularidade. Em blitz recentes na BR 153, no interior de São Paulo, muitos motoristas foram flagrados com as traseiras dos seus caminhões mais altas, descumprindo a lei.

A elevação é feita colocando-se calços nas rodas traseiras ou com o aumento do número de molas na suspensão. Com isso, a parte dianteira do caminhão fica mais pesada, dificultando significativamente a frenagem, aumentando o desgaste dos pneus e comprometendo a estabilidade do veículo.

Além de prejudicar o desempenho, a alteração pode ocasionar uma consequência ainda mais grave. É que a modificação deixa o para-choque mais alto, deixando de funcionar como uma barreira e no caso de uma batida, o carro que estiver atrás pode entrar embaixo aumentando o risco de morte.

Em entrevista para o Bom Dia Brasil (13/11), o agente da Polícia Rodoviária Federal Fagner Moura Carvalho, que trabalha na região da cidade paulista de São José dos Campos, confirma que em caso de colisão, “O que ocorre é o efeito guilhotina. O para-choque vem na altura do pescoço e cabeça do indivíduo que vem atrás”, disse Carvalho.

Com uma câmera escondida, a reportagem conseguiu identificar como é fácil efetuar a alteração nas oficinas especializadas, a um preço de R$ 380,00.

Fonte: g1.globo.com/bomdiabrasil

Quer saber sobre mais assuntos como esse? Nos siga nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.