(Last Updated On: 22 de setembro de 2014)

Segundo uma nova pesquisa da Universidade Stanford, quando as pessoas são tratadas como parceiras trabalhando juntas com outras, a motivação delas aumenta, mesmo que elas estejam distantes fisicamente. Foi percebido que nos ocupamos na vida de muitas atividades, na maioria das vezes as fazemos sozinhos, entretanto considerando que outros fazem a mesma coisa que fazemos, teríamos resultados melhores se fizéssemos em grupo, ou simplesmente em parceria mesmo à distância.

Um exemplo é um aluno que recebe um trabalho de casa, mas tem em mente que outros alunos da sala estão fazendo a mesma coisa, entretanto não existe uma responsabilidade dividida, diferente de quando o mesmo trabalho é em grupo, quando recebem essa incumbência as coisas ficam mais difíceis, afinal, as condições já são diferentes, existe um fator maior de responsabilidade, onde cada um depende do resultado máximo do outro integrante, isso faz crescer a motivação.

“Trabalhar com os outros proporciona grandes benefícios pessoais e sociais”, escreveu Gregory Walton, professor-assistente de psicologia na Stanford, em um artigo no “Journal of Experimental Psychology” em coautoria com Priyanka Carr, estudante de graduação em Stanford. Walton disse ainda: “Nossa pesquisa descobriu que sugestões sociais que simplesmente transmitem a ideia de que outras pessoas consideram você trabalhando junto em uma tarefa, mais que somente trabalhando na mesma tarefa, mas separadamente, têm efeitos impressionantes na motivação”.

Na pesquisa foram realizados cinco experimentos e foi descoberto que: as pessoas que tiveram sugeridas atividades em grupo aumentaram a “motivação intrínseca (comportamentos que os indivíduos querem adotar, dos quais desfrutam e que consideram intrinsicamente recompensadores, e não aqueles que se forçam a adotar)” em relação a de pessoas que trabalhavam sozinhas. Já as pessoas que ficaram separas não tiveram um engajamento do nível do primeiro grupo, entretanto as pessoas nunca trabalharam juntas de fato, o que ocorreu de fato foi uma percepção de um contexto de trabalho em grupo.

Os resultados da pesquisa foram impressionantes, no caso em que as pessoas se percebiam trabalhando juntas, as mesmas demonstraram maior interesse na tarefa e persistiram de 48% a 64% mais do que as pessoas que se sentiam sozinhas.

“Os resultados mostraram que simplesmente perceber que se é parte de uma equipe de pessoas trabalhando em uma tarefa é mais motivador quando se encaram desafios”, diz Walton.

Com informações: Valor Econômico

Quer saber sobre mais assuntos como esse? Nos siga nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.