Segundo o Globo.com, a estiagem causou prejuízo estimado de pelo menos R$ 57 milhões entre 2014 e 2015 ao setor do agronegócio por causa da impossibilidade de transportar grãos pela hidrovia Tietê-Paraná. A estimativa é do presidente do Conselho de Logística e Infraestrutura da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Renato Pavan.

A Hidrovia Tietê-Paraná transporta cerca de 8 milhões de toneladas de carga anualmente. Uma soma de 2 milhões de tonelada de soja e milho, que são transportadas em barcaças rumo às indústrias e portos. Fechada desde maio de 2014 por causa da estiagem, a hidrovia não foi reaberta agora em 2015 a tempo do início da temporada de escoamento de soja.

Entre 2014 e 2015 o transporte de pelo menos 4 milhões de toneladas de grãos, foram feitos por caminhões em vez de se feito pela hidrovia e ferrovia. Os estados mais prejudicados foram, Goiás, Mato Grosso e São Paulo. O total de prejuízo com o transporte foi de R$ 30 milhões. Já este ano de 2015 o valor estimulado diminui para R$ 27 milhões, por causa da baixa no preço dos fretes e  também pelos protestos entre os caminhoneiros, segundo a representante da Abag.

Também houve o prejuízo com a redução do trabalho em terminais hidroferroviários. Foram mais de 700 trabalhadores demitidos, afirma Ferreira da Aprosoja. A Abag não possui ainda um levantamento nacional, para calcular o prejuízo total da seca ao agronegócio, incluindo tanto os gastos extras com transporte quanto perdas na produção, para repassar aos trabalhadores e empreendedores, mas estão trabalhando para isso.

Pavan e Ferreira afirmam que a Hidrovia Tietê-Paraná, foi a única que teve prejuízos por causa da seca e permanecerá fechada, por mais alguns meses.

Fonte: G1 – Globo site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Quer ficar por dentro de tudo sobre + transportes?