Dados recentes divulgados pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) apontam que o tempo médio de permanência de caminhões no Porto de Santos sofreu uma redução de quase 4 horas, entre os meses de abril de 2013 e abril de 2014. O tempo de parada que antes era de 9,25 horas caiu para 5,5 horas em 2014.

A Codesp, informou ainda que em abril de 2014, o número de veículos que conseguiram cumprir o período agendado foi quase 3 vezes maior do que no início do projeto. Cerca de 67% dos veículos que fizeram o agendamento conseguiu chegar ao porto, contra 23% do início dos agendamentos, no mês de janeiro deste ano.

Segundo o ministro do Transportes, César Borges, ocorreu ainda redução no custo do frete comparado com 2013.

“Não só se acabou com as filas, como houve redução de 10% [no custo] do frete por conta de você organizar essa logística de escoamento”, declarou o ministro, em entrevista coletiva conjunta com a Secretaria Especial de Portos e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para apresentação dos dados.

Em 2013, as pastas citadas acima formaram um grupo de trabalho para eliminar os gargalos no escoamento da safra, grande responsável por prejuízos em função das conhecidas filas e lentidão.

De acordo com Luis Cláudio Santana Montenegro, diretor de Planejamento da Codesp, o problema está sob controle este ano.

“Não tivemos problemas crônicos com formação de filas. Algumas contingências foram resolvidas em questão de horas”, disse.

O sistema de agendamento é usado apenas no Porto de Santos, por enquanto

Fonte: Exame Logística

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Quer ficar por dentro de tudo sobre + transportes?